O Outro Lado de Pequim – 2008

Com a mão no mastro

Posted by outroladodepequim em julho 22, 2008

Na última semana, alguns países sem qualquer expressão esportiva anunciaram os atletas que irão segurar a vara para suas respectivas delegações. Vamos começar com um mongol. Não, ele não é um debilóide, ao menos a princípio. É o judoca da Mongólia com o sofisticado nome de Maghal Bayarjavhlan. Ele nunca ganhou merda nenhuma, tendo como destaque uma sétima colocação na categoria acima de 100 kg – gordos mórbidos – do campeonato asiático, ficando atrás de cazaques e uzbeques. O infeliz estará em Pequim ao lado de 28 outros mongolóides, a maioria parte deles inscrito nas provas de lutas. Eles tentarão dar àquele país a primeira medalha de ouro em Jogos Olímpicos.

 

Nação cuja principal glória esportiva é o bicampeonato mundial de futebol lá no começo do século, o Uruguai também indicou um atleta sem qualquer importância em âmbito mundial para representá-lo. O velejador Alejandro Foglia será o fodido que vai carregar o mastro em público, antes de disputar as provas da classe Laser da Vela, cujas provas serão realizadas na cidade de Qingdao. O comitê olímpico uruguaio divulgou a baboseira de que Foglia foi escolhido devido à viadagem de ter “antecedentes esportivos, conduta e compromisso com os ideais olímpicos”. 

 

Sem qualquer criatividade e inovação, o comitê olímpico da República Dominicana – que deve ter menos verba que o armarinho da esquina – celebrou a escolha de Félix Sanchez, o mesmo que carregou a enorme vara em Atenas e no Pan-Americano de 2003, realizado em Santo Domingo, capital do próprio País. Sanchez, o principal fenômeno esportivo da ilhota de merda, já faturou o ouro olímpico, mas vem em baixa, com seguidas contusões e vem fracassando até mesmo em competições regionais de pouca expressão. 

Félix Sanchez, de vermelho e à esquerda, tem ficado para tás nas últimas competições. Quem sabe a vara dê sorte ao cidadão.

Félix Sanchez, de vermelho e à esquerda, tem ficado para trás nas últimas competições. Quem sabe a vara dê sorte ao cidadão.

 

Finalizando esse post de pura informação inútil, um destaque para a Guatemala. Destaque que o país só costuma ter quando se fala em desgraça. Bem, o desgraçado do jogador de badminton Kevin Cordon será o porta-bandeira da Guatemala nas Olimpíadas de Pequim-2008. O atleta de 21 anos é o número 57 no ranking mundial. Ou seja: até se meu Tio Caolho resolver treinar adequadamente será mais competitivo que esse boçal. Segundo a Agência Reuters, a Guatemala terá apenas 12 atletas representando o país na China. O último classificado para Pequim foi Christian López, por convite da Federação Internacional de Halterofilismo (IWF). Tiveram dó desse filha da puta.

 

Ah, nenhum dos quatro comitês escolheu uma mulher. Um bando de pederastas mesmo…

O uruguaio Foglia terá mais chances de se afogar do que de voltar da China com um inédito pódio

O uruguaio Foglia terá mais chances de se afogar do que de voltar da China com um inédito pódio

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: